França cria entidade gestora para resíduos de pontas de cigarro




Os resíduos provenientes de beatas (pontas de cigarro) vão ser geridos por uma entidade gestora em França. É o primeiro país europeu a introduzir o princípio da responsabilidade alargada do produtor no combate à poluição causada pelas pontas de cigarro.

Na prática significa que a partir de agora, os produtores e distribuidores de tabaco - e já não as autoridades locais - irão financiar as operações de recolha e limpeza, uma vez que esta nova entidade gestora deverá funcionar com as entidades gestoras da fileira do plástico, de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, de óleos, entre outras, existentes em Portugal.


Os produtores e distribuidores devem, assim, financiar, organizar e implementar soluções adequadas de recolha, reutilização ou reciclagem do seu produto. Atualmente existem no país gaulês cerca de 15 entidades gestoras de fluxos específicos de resíduos, estando previstas a criação de mais algumas entre 2021 e 2025, conforme indicado pela legislação francesa (loi anti-gaspillage pour une économie circulaire).


Através desta nova entidade gestora, cerca de 80 milhões de euros por ano serão fornecidos às autoridades locais para financiar a recolha e limpeza de pontas de cigarro descartadas. As pontas de cigarro são uma importante fonte de poluição nas cidades, pois cada filtro de cigarro contém plásticos e substâncias químicas que podem alterar permanentemente o ambiente.


Atualmente cerca de 23,5 mil milhões de pontas de cigarro são atiradas ao chão ou à natureza todos os anos em França, pelo que o objetivo é reduzir esta quantidade em pelo menos 40% nos próximos 6 anos.

Clique aqui para saber mais informações